Programa De Olho na Cidade

14/07/2014 - 16:21

Argentinos fazem fila para tomar banho em rodoviária do Rio

Movimentação era intensa no terminal na manhã desta segunda-feira.
Copa 2014
Argentinos fazem fila para tomar banho em rodoviária do Rio
Foto: Reprodução

Em meio a inúmeros turistas das mais variadas nacionalidades, os argentinos eram maioria na Rodoviária Novo Rio, no Centro, no final da manhã desta segunda-feira (14). Enquanto alguns ainda dormiam no chão, comiam na praça de alimentação do terminal ou procuravam por algum suvenir do Brasil em lojas, muitos argentinos enfrentavam fila para tomar banho antes da longa viagem de volta para casa.

"Assistimos à final na praia e passamos a noite lá. Um amigo peruano que vive aqui [no Rio] guardou nossas bagagens. Precisamos de banho antes de viajar", disse o estudante Eduardo Gimenez, 23 anos, que partirá em um ônibus previsto para as 16h25, acompanhado de três amigos.

Segundo o Consórcio Novo Rio, que administra a rodoviária, 36 ônibus sairão da cidade em direção à Argentina nesta segunda. A previsão era de que a movimentação no terminal ficasse ainda mais intensa depois de meio-dia. A partir das 15h, os ônibus para Buenos Aires passarão a sair com intervalo de cinco minutos.

Saídas para São Paulo - Outro destino bastante procurado pelos visitantes é São Paulo, já que muitos estrangeiros chegaram ao país pelo aeroporto internacional de Guarulhos. O comerciante Marcelo Goris, 43 anos, esperava um ônibus para São Paulo, mas contou que voltará de carro para a Argentina.

"Viajamos 2.600 quilômetros de Santa Fé até Guarulhos e lá nosso carro estragou. Queríamos vir ao Rio para a partida final. Deixamos o carro com um mecânico e dormimos dentro dele antes de vir pra cá", disse Marcelo Goris.

Antes da viagem, o argentino aproveitou para escolher presentes para os filhos. Questionado sobre qual lembrança levaria da Copa do Mundo no Brasil, ele citou a alegria do povo. "Os brasileiros nos receberam muito bem. Foi uma viagem incrível", destacou.

Sobre as provocações dos brasileiros em razão da derrota da seleção de Messi para a Alermanha, Marcelo disse compreender a brincadeira e ressaltou que perder faz parte do jogo.

"Futebol é assim: se ganha e se perde. Somos rivais em campo, fora dele somos todos amigos", disse o argentino, que veio ao Brasil com um grupo de quatro amigos. "Dois torcem para Unión e dois para Colón [times argentinos], que são muito rivais. Mas somos irmãos, não temos que brigar". As informações são do G1.

Comentários

Leia também